quinta-feira, 2 de agosto de 2012

O Porto de Marques da Silva

Marques da Silva (1869 – 1947) foi um importante arquitecto do Porto. Alguns projectos desenhados por si, fazem hoje parte do património arquitectónico e estético da cidade.

Fui fotografá-los, deambulando pela cidade.




Prédio da Rua Alexandre Braga.


Construção: 1928

Estação de São Bento, Praça de Almeida Garrett.

No ano de 1896 foi concluída a ligação ferroviária entre Campanha e o Centro da cidade, ainda sem gare. Apenas uma linha que passava pelo túnel da vandoma., necessária à circulação de comboios entre estes dois locais.
O Rei D. Carlos e a Rainha D. Amélia colocam em 1900 a primeira pedra da futura gare de São Bento. O projecto da estação sofre várias alterações, sendo definitivamente inaugurado em 1916.
O nome deve-se à existência do convento de freiras beneditinas de São Bento da Ave-Maria , expropriado para a construção da gare.
Os painéis do interior são da autoria de Jorge Colaço. Representam cenas da História de Portugal e da vida Portuguesa da época.

Painéis em azulejo














Hall da gare









Cais





Edifico da Companhia de Seguros Nacional, Av. dos Aliados, 1.

Data de Construção: 1919 – 1925.
Com o edifício oposto da avenida, Ed. Joaquim Emílio Pinto Leite, marca a separação da Av. dos Aliados e da Praça da Liberdade.



Edifício Joaquim Emílio Pinto Leite, Av. dos Aliados, 2.
Actualmente sede do BBVA.
Construção: 1922.



Sede do Jornal de Notícias, Av. dos Aliados, 138 – 168.

Data de Construção: 1919 – 1925.



Palácio do Conde de Vizela, Rua das Carmelitas, Rua Conde de Vizela e Rua Cândido dos Reis.
Data de Construção: 1917 – 1923.
Construído para albergar os escritórios da fábrica Rio Vizela, lojas e o Club Portuense.



Edifício das 4 Estações, Rua dos Carmelitas, 100.
Construção: 1905
O nome do Edifício deve-se aos relevos que representam as estações do ano, visíveis nas pilastras frontais. Estilo Beaux- Arts. Foi habitado por Marques da Silva.
Propriedade da Fundação Instituto Marques da Silva.


Pormenor de uma das pilastras






Bairro Operário de “O Comércio do Porto”, Monte Pedral, Rua da Constituição, Rua de Serpa Pinto, Ruas do Quanza, Niassa, Limpopo.


Data de Construção: 1899 – 1905.

A Cidade do Porto debatia-se com péssimas condições de salubridade para os seus operários. Por iniciativa da Federação das Associações Operárias do Porto, começaram a ser construídas habitações mais condignas. As casas passaram a ter casa de banho individual, divisões diferenciadas para os diferentes elementos da família, cuidados estéticos e de segurança, inexistentes nas chamadas “ilhas” operárias da cidade.

A construção destas habitações representa a ambição de dignificar as classes sociais mais desfavorecidas.





Casa Atelier Marques da Silva, Praça Marquês de Pombal.
Início do Projecto: 1909.
Residência privada. Sede da Casa Museu Arquitecto José Marques da Silva.





Armazéns Nascimento, Ruas de Santa Catarina e de Passos Manuel
Actualmente sede das lojas FNAC e C&A.
Data de Construção: 1916 – 1927.
Vendido pelo proprietário em 1927 e sede durante muitos anos das Galerias PAlladium.




Liceu Alexandre Herculano, Av. de Camilo.

Data de Construção: 1916 – 1921.

Casa de Serralves
Projectada em 1925, por encomenda do Conde de Vizela.




Teatro Nacional de São João, Praça da Batalha.
O Real Theatro de São João ou Real Theatro do Príncipe, em homenagem ao príncipe regente D. João VI, inaugurado em 1798, foi tragicamente destruído por um incêndio em 1908. No seu lugar surgiu o novo Teatro de São João.

Data de Construção: 1910 – 1918.

Inauguração: 1920, com a Ópera Aida, de Verdi

   
  

Liceu D. Manuel II, Praça Pedro Nunes
Data de Construção: 1927 – 1932.
Actualmente Escola Secundária Rodrigues de Freitas.


Monumento aos Heróis da Guerra Peninsular, Praça Mouzinho de Albuquerque.
Data de Construção: 1909 – 1951.
Trabalho escultórico de Alves de Sousa, Henrique Moreira e Sousa Caldas.






O eléctrico 22 faz um trajecto circular desde o Carmo até à Batalha. A linha Marques da Silva passa por alguns edifícios do arquitecto.




2 comentários:

Joaquim Isidro Moreira Fernandes disse...

A casa assinalada aqui como sendo o Atelier de Marques da Silva, a imagem está errada, Esta fica na Praça da República e é o Palácio das Águias. ver o site da Fundação Marques da Silva https://fims.up.pt/index.php?cat=2&subcat=8&proj=7

Paulo Barros disse...

Muito Obrigado pela correção.
Logo na praça de República, que eu conheço tão bem!!!